Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Select a Page:
Scroll to top

Top

Revista TMQ

Aspectos conceptuais e metodológicos da qualidade em saúde: a acreditação hospitalar pela Joint Commission International

02/03/2013 | O desenvolvimento contínuo da qualidade passou a ser um dos principais elementos a ter em conta nas políticas de saúde. De auto responsabilização no caso do desenvolvimento da qualidade relativa aos profissionais e organizações de saúde e de responsabilização externa por parte do regulador público e do agente contratualizador, em relação às garantias a dar ao cidadão, contribuinte, utilizador. Durante a última década assistiu-se a uma rápida evolução no conceito de qualidade na saúde, exprimindo-se actualmente em três dimensões: a qualidade em relação à prática profissional, tanto em termos de processo como de resultados; a qualidade como elemento central da gestão organizacional e a qualidade como marca de garantia e segurança face ao utilizador dos serviços de saúde, tendo esta última como refe- rência a certificação e acreditação. Tendo como base a relevância desta temática com este artigo pretendeu-se perceber a necessidade, complexidade e exigência crescente da qualidade relacionada com os serviços de saúde, neste caso das organizações hospitalares. Foram definidos como objectivos: aprofundar conhecimentos sobre aspectos conceptuais e metodológicos da qualidade em saúde e; reflectir sobre uma experiência de utilização do processo de Acreditação Hospitalar pela Joint Commission International. Inicia-se por uma abordagem conceptual seguida de breve análise das metodologias de qualidade tendo como referência os projectos em curso em Portugal, após o que se analisa a acreditação pela Joint Commission International.

Qualidade dos sistemas de informação num serviço de radiologia

02/03/2013 | A preocupação com a qualidade pelos serviços pelas organizações de saúde é uma realidade. Em resultado disso têm sido implementados sistemas de informação a fim de melhorar a qualidade dos procedimentos e do processo clínico e de gestão. A qualidade dos sistemas de informação assume particular destaque pelo papel que os sistemas de informação têm na gestão. Avaliar a qualidade dos sistemas de informação é crucial para perceber se os mesmos potenciam uma melhoria da qualidade de desempenho dos profissionais de saúde. Para tal, realizou-se este estudo de natureza descritiva num serviço de radiologia de um hospital, aplicando-se um questionário para avaliar a qualidade do sistema de informação e os impactos do mesmo na melhoria de desempenho dos profissionais de saúde em causa.

Manual da qualidade e abordagem por processos: o caso de uma sala de mamografia

02/03/2013 | A aplicação de ferramentas de Gestão ao Serviço de Radiologia pode representar um papel significativo na melhoria dos procedimentos realizados, nomeadamente os de uma sala de Mamografia Digital, uma vez que através de um controlo eficiente dos processos, é possível alcançar os objectivos a que o serviço se propôs. Neste âmbito, as auditorias, bem como a sua abordagem por processos, assumem um papel cada vez mais fundamental para a melhoria dos cuidados prestados, através da normalização e aperfeiçoamento dos processos auditados. Para tal, é essencial que todas as normas e processos sejam parte constituinte de um Manual da Qualidade, já que este deve representar um elemento de referência e uniformização dos métodos a aplicar na Gestão da Qualidade, designadamente no que se refere à satisfação do utente e à optimização dos processos.

Controlo estatístico da qualidade e saúde

02/03/2013 | Os valores em causa na saúde, a vida e o bem estar, e a sua ausência, a morte, o dano e a doença, tornam ainda mais exigente o uso de métodos de controlo e melhoria do desempenho do sistema de saúde e das suas partes. A dimensão e a fragmentação estrutural, como características da rede de prestação de cuidados, agravam os riscos próprios e colocam desafios de gestão e de qualidade inigualáveis. Podemos dizer que nos encontramos no início de uma nova era, a qual exige que nos aparelhemos para a viagem de eliminação constante de erros e desperdício na Saúde. Sem margem para dúvidas a estatística e os estatísticos são uma parte essencial da tripulação e da aparelhagem dessa nova navegação.

Controlo estatístico do processo – monitorização do desempenho de equipamento radiológico

02/03/2013 | Os programas de controlo de Qualidade de equipamentos radiológicos envolvem a realização de uma sequência de testes exaustivos e rotineiros aos equipamentos, no sentido da verificação do seu funcionamento adequado. Esta verificação é feita pela medição de um ou vários parâmetros cujos resultados têm de se enquadrar dentro de determinados limites definidos tanto pela legislação nacional como por normas internacionais. Considera-se no entanto que a realização de uma análise estatística dos resultados obtidos periodicamente permite acompanhar o desempenho do equipamento, tornando possível a previsão de desvios sistemáticos ao funcionamento óptimo do sistema mesmo antes deste atingir os limites de tolerância, sendo por isso uma clara mais valia. O aparelho escolhido para este estudo foi um mamógrafo Siemens MAMMOMAT 1000. Focamos este trabalho na análise do kerma médio à superfície de entrada de um fantoma de acrílico de 4 cm de espessura, valor obtido mensalmente nos programas de controlo de qualidade e que dá uma indicação da Dose Glandular Média. Os valores de kerma foram obtidos através de um dosímetro semicondutor Unfors Mult-o-meter, em modo automático de exposição a 28 kV, com 4 exposições cada, durante os primeiros dois anos após a instalação do equipamento. O trabalho apresentado visa realçar as cartas de controlo como uma ferramenta útil num programa de controlo de qualidade de umbequipamento radiológico, bem como as dificuldades inerentes à utilização desta ferramenta estatística.

Qualidade em saúde: diagnóstico e análise da rede social na prestação de cuidados de saúde a crianças com diabetes

02/03/2013 | As crianças com diabetes tipo I podem viver num processo de bem-estar contínuo, maximizando o equilíbrio no quotidiano. Neste contexto, os profissionais de saúde poderão e deverão vir a ter um papel único na intervenção junto destas crianças, na promoção da sua qualidade em saúde, no reforço da sua autonomia e nomeadamente na articulação e flexibilização das organizações em rede. Um dos maiores desafios incide em encontrar continuamente recursos e respostas neste contexto, o que nos direcciona para o conceito de qualidade em saúde, sua monitorização e avaliação na procura da excelência dos cuidados. O hospital deverá ter a capacidade de analisar o seu ambiente externo percebendo quais as instituições que poderão cooperar com este, potenciando a qualidade dos cuidados prestados. A ligação dos cuidados de saúde diferenciados e os cuidados de saúde primários, parece então ser um novo caminho a percorrer. O presente trabalho assenta numa abordagem predominantemente qualitativa, sem negligenciar os aspectos quantitativos da metodologia da análise de redes sociais, identificando as dinâmicas da rede formal de apoio à valorização da qualidade em saúde em criança com diabetes tipo I.

Revista TMQ

15/02/2013 | A Revista TMQ nasceu de uma iniciativa do Departamento de Métodos Quantitativos da ISCTE Business School (IBS), com o apoio da UNIDE (Unidade de Investigação em Desenvolvimento Empresarial do ISCTE e do Grupo de Investigação Estatística e Análise de Dados (GIESTA-ISCTE). Esta revista está indexada ao sistema Regional de Información latindex

Recuperar Password

Por favor, introduza o seu e-mail. Vai receber uma nova password via e-mail.