Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Select a Page:
Scroll to top

Top

No Comments

Gestão do Risco em Portugal: Desafios para as empresas

Gestão do Risco em Portugal: Desafios para as empresas
Para visualizar o conteúdo por favor faça Login.

  • Conscientes da importância da gestão do risco, a APQ e a KPMG Advisory – Consultores de Gestão, SA lançaram em Maio a primeira edição de um estudo realizado em 2012 sobre os desafios que se colocam às empresas em Portugal neste domínio. O estudo teve por finalidade identificar quais os riscos que podem colocar em causa a consecução dos objectivos das empresas e as práticas utilizadas por estas na gestão dos riscos. Nesta primeira edição participaram 26 empresas de diversos sectores de actividade (com excepção do financeiro), sendo que 58% das empresas participantes são cotadas em bolsa, 46% das quais em Portugal. Os resultados deste estudo revelam que os riscos de índole financeira são aqueles que as empresas consideram como sendo neste momento os mais importantes, reflectindo os desafios que enfrentam no actual contexto macroeconómico. São 50% as empresas que dizem estar a dar maior relevância aos riscos financeiros, em contraste com as empresas internacionais muito atentas a alterações regulamentares e a riscos de reputação. A evolução dos mercados financeiros, as restrições de liquidez e crédito e a recessão económica prolongada são os riscos que estão a ser considerados como os mais críticos neste momento por metade das empresas lusas estudadas. As organizações participantes relevam pouco os riscos de cariz social e ambiental, tais como a cultura e ética corporativa, a globalização, os desastres naturais e os surtos epidémicos, quando no contexto internacional crescem as preocupações com o desenvolvimento sustentável. Outros temas igualmente desvalorizados, também inesperadamente, incluem os riscos associados a actividades em regime de outsourcing, a variação dos custos de produção e a volatilidade fiscal. Do conjunto das 26 empresas que aderiram ao estudo, ficamos a saber que 81% das mesmas perspectiva reforçar a gestão do risco nos próximos dois anos. Grande parte das empresas detém um plano de investimento para reforço da gestão do risco, revelando a importância do tema, sendo que o apoio da gestão de topo é o factor-chave para o sucesso da implementação. Ficou também claro que 27% do conjunto das 26 ainda detém práticas de gestão do risco pouco maduras relativamente ao modelo de governo implementado, à identificação e avaliação de riscos, ao processo de monitorização e reporte e à optimização da gestão do risco. O estudo revelou ainda que o número de empresas que quantifica os seus riscos é ainda reduzido. A maioria das empresas afirma efectuar análise de riscos baseada apenas em modelos qualitativos, o que se traduz numa maior subjectividade da análise e eventuais desvios na avaliação da real exposição ao risco a que as empresas estão sujeitas.
    Riscos salientados por sector
    Além dos riscos mais valorizados pelas empresas de forma geral, o estudo revela ainda os riscos especificados pelos diferentes sectores de actividade de acordo com o contexto em que actuam. À excepção do sector da construção e infra-estruturas, que aponta sobretudo os riscos financeiros com os mais importantes, decorrente dos desafios que enfrenta de captação de investimentos e gestão de liquidez, outros sectores relevam ainda outro tipo de riscos. O sector de bens de consumo e retalho demonstram preocupação com questões de reputação, de comunicação e de imagem, que podem implicar danos elevados no negócio. Por seu lado, para o sector das utilities as preocupações recaem na segurança das infra-estruturas e equipamentos, bem como nos temas regulatórios devido à pressão a que o sector está sujeito neste domínio, enquanto que as empresas do sector do turismo, viagens e hotelaria sublinham a qualidade e segurança dos produtos e serviços como muito relevantes para o exercício da sua actividade. A APQ e a KPMG comprometem-se a desenvolver novas edições deste estudo atendendo à importância e benefícios que a gestão do risco traz às empresas e de modo a conhecer a evolução destes temas em Portugal.
  • Sobre o estudo – Pag. 3

    Mensagem dos sponsors – Pag. 4

    Principais conclusões – Pag. 7

    Identificação e avaliação de riscos críticos – Pag. 10

    Práticas de gestão do risco das empresas – Pag. 19

    Tendências futuras – Pag. 33

  • © 2013 KPMG Advisory – Consultores de Gestão, S.A., a firma portuguesa membro da rede KPMG, composta por firmas independentes afiliadas da KPMG International Cooperative (“KPMG International”), uma entidade suíça. Todos os direitos reservados. Reproduzido com a autorização da KPMG em Portugal.

Comente o Artigo

Recuperar Password

Por favor, introduza o seu e-mail. Vai receber uma nova password via e-mail.