Guias RELACRE

RELACRE-Logo

GUIAS RELACRE

A RELACRE – Associação de Laboratórios Acreditados de Portugal tem como missão apoiar e promover a comunidade de laboratórios, contribuindo para o seu reconhecimento na sociedade e para o desenvolvimento e credibilização da sua atividade.

A sua ação visa estabelecer relações sólidas e de confiança com os Associados e com a comunidade de Laboratórios em geral, desenvolvendo atividades de serviço que resultam da pesquisa sistemática das suas necessidades, atuais e potenciais, bem como, de serviços complementares de carácter técnico e de qualificação de recursos que promovem a sua competitividade.

A Relacre, numa parceria com a APQ, disponibiliza agora os seus guias nas Publicações Qualidade.

Saiba mais sobre a Relacre em www.relacre.pt

Índice

GUIA EURACHEM – RELACRE N.º1
Resumo

Exemplos de cálculos de incertezas.



Guia 1 – Calibração de material volumétrico
Resumo

Descreve os procedimentos utilizados na calibração de material volumétrico, de uso corrente nos laboratórios químicos e clínicos, baseando-se na determinação gravimétrica da quantidade de água contida ou escoada e na conversão deste valor para o volume verdadeiro. Apresentam-se também técnicas utilizadas para proceder a calibração por amostragem estatística.



Guia 3 – Validação de resultados em laboratórios químicos
Resumo

Introduz o conceito de Controlo da Qualidade e explica as ações que lhe estão associadas, tendo em vista que os resultados produzidos pelos laboratórios químicos tenham a qualidade adequada ao uso que lhes vai ser dado.



Guia 4 – Determinação da melhor incerteza de medição de um laboratórios de calibração de forças
Resumo

Estabelece o procedimento a seguir na avaliação da melhor incerteza de um laboratório de metrologia de forças, na calibração de forças, a partir de padrões de referência.



Guia 5 – Determinação da incerteza dos resultados da calibração de instrumentos de medição de forças
Resumo

Estabelece o procedimento a seguir na avaliação da incerteza dos resultados da calibração de instrumentos de medição de forças, incluindo a componente da incerteza associada ao instrumento calibrado.



Guia 6 – Acreditação de laboratórios de ensaio microbiológicos
Resumo

Versão adaptada do Guia EAL G18 e pretende complementar a NP 45001 e o Guia ISO/CEI 25 dando uma orientação detalhada, quer para os laboratórios que realizem ensaios microbiológicos, quer para os auditores. Pode aplicar-se a todas as atividades no domínio dos ensaios microbiológicos, quer sejam de rotina ou atividades de I&D.



Guia 7 – Ensaios interlaboratoriais em química
Resumo

Pretende ir ao encontro de algumas questões relacionadas com a realização (e interpretação) de ensaios interlaboratoriais em laboratórios químicos. Constitui um guia para a elaboração de um protocolo de ensaio.



Guia 8 – Determinação da incerteza da calibração de massas
Resumo

Estabelece o procedimento a seguir na avaliação da melhor incerteza de um laboratório de metrologia de massa e da incerteza dos resultados da calibração de massas, na calibração de massas, a partir de padrões de referência.



Guia 9 – Alguns exemplos de cartas de controlo em laboratórios de análise química
Resumo

Apresenta alguns exemplos de Cartas de Controlo utilizadas em Laboratórios de Análise Química, que poderão ser úteis a laboratórios que trabalhem na mesma área ou que pretendam implementar um Sistema de Controlo da Qualidade.



Guia 10 – Determinação da incerteza dos resultados de medição na calibração de instrumentos de medição eléctrica ( I e II)
Resumo

Estabelece os princípios e requisitos a seguir na avaliação da incerteza de medição na calibração de dispositivos da área elétrica. Pretende determinar principais componentes presentes na medição, identificando o tipo de distribuição associado, considerando o processo de avaliação e descrevendo o modo como estas deverão ser combinadas, determinando a incerteza expandida na medição.



Guia 11 – Elaboração do manual da qualidade de laboratórios
Resumo

Com referência ao Guia ISO 25-1997: General Requirements for the Competence of Testing and Calibration Laboratories, este Guia pretende uniformizar critérios, economizar tempo na elaboração do Manual da Qualidade e na sua futura consulta. Contribui para a implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade, do qual o Manual da Qualidade é também uma parte fundamental.



Guia 12 – Determinação da incerteza dos resultados da verificação de máquinas de ensaio de tracção ou compressão
Resumo

Estabelece o procedimento a seguir na avaliação da incerteza dos resultados da verificação do sistema de medição da força de máquinas de ensaios estáticos, uniaxiais de tração ou compressão.



Guia 13 – Validação de métodos internos de ensaio em análise química
Resumo

Estabelece linhas de orientação a seguir pelos laboratórios químicos que pratiquem métodos internos de ensaio, tendo como objetivo a uniformização de critérios utilizados para demonstrar que um método interno de ensaio, nas condições em que é praticado, tem as características necessárias para a obtenção de resultados com a qualidade exigida.



Guia 14 – Questionário de avaliação da situação nos laboratórios de análises clínicas face à nova norma EN ISO/IEC 17025
Resumo

Este documento tem por objetivo orientar os laboratórios de análises clínicas para a acreditação. O questionário apresentado permite avaliar a sua situação atual em relação aos requisitos descritos na norma NP EN ISO/IEC 17025. Inclui, ainda, questões específicas relativas à atividade dos laboratórios de análises clínicas, tendo em atenção os requisitos do projeto da norma ISO/FDIS 15189.



Guia 15 – Garantia da qualidade de sistemas informáticos em laboratórios
Resumo

Dá orientação para os laboratórios que pretendam cumprir os requisitos da Garantia da Qualidade e que utilizem sistemas informáticos nas suas atividades. Pretende cobrir as necessidades de todos os laboratórios independentemente da sua dimensão e campo de atividade.



Guia 16 – Determinação da melhor incerteza de medição associada à calibração de balanças manométricas industriais
Resumo

Estabelece o procedimento a seguir na avaliação da melhor incerteza de medição associada à calibração de balanças manométricas industriais utilizadas em laboratórios de calibração como padrões de referência.



Guia 17 – Elaboração de procedimentos do sistema da qualidade
Resumo

Define uma metodologia e serve como guia para elaboração e implementação dos procedimentos do Sistema da Qualidade.



Guia 18 – Pontos de calibração em equipamentos de medição da área eléctrica
Resumo

Apoia os laboratórios na seleção de um nº mínimo de pontos a considerar numa calibração de um equipamento de medição, de forma a ser garantida a rastreabilidade ao equipamento em todas as suas gamas e funções, nomeadamente para os equipamentos: Pontos de Medição RLC, Pinças Amperimétricas, Equipamentos de Ensaio de Tensão suportada, Voltímetro, Amperímetros, Ohmímetros e Analisadores de Espectro.



Guia 19 – Câmaras térmicas – Conceitos básicos, realização do ensaio térmico e avaliação do relatório de ensaio
Resumo

Apoia os laboratórios na preparação e realização de estudos de comportamento térmico de Câmaras Térmicas (estufas, muflas e incubadoras) e avalia a sua adequabilidade aos processos em que são utilizados, bem como efetua uma abordagem ao cálculo das incertezas associadas aos valores térmicos.



Guia 20 – Decreto-Lei nº 78/2004 – ANEXO II – Especificações sobre o conteúdo do relatório de autocontrolo
Resumo

O objetivo deste Guia é a uniformização dos critérios mínimos para a elaboração de um Relatório de Autocontrolo de modo a dar cumprimento aos requisitos do Anexo II do Decreto-Lei 78/2004. Este documento estabelece linhas de orientação para as instituições que caracterizam as emissões de fontes fixas.



Guia 21 – Exposição dos trabalhadores às vibrações – apontamentos sobre estimativa das incertezas de medição
Resumo

Procura estabelecer o procedimento a seguir na avaliação da incerteza da medição nos ensaios de medição de de vibrações no corpo humano. Destina-se a complementar os princípios gerais, indicando-se as grandezas intervenientes na avaliação da incerteza associada aos resultados das medições.



Guia 22 – Cálculo de incertezas – Acústica
Resumo

O presente documento tem como objetivo estabelecer os modelos matemáticos associados à metodologia a seguir na avaliação da incerteza dos resultados nos Ensaios de Acústica.



Guia 23 – Guia de boas práticas de medição de vibrações – Exposição dos trabalhadores às vibrações
Resumo

O presente Guia fornece orientações para a realização da Avaliação da Exposição dos trabalhadores às vibrações transmitidas ao sistema corpo inteiro e ao sistema mão-braço.



Guia 24 – Cálculo da Incerteza na calibração de material volumétrico
Resumo

Fornecer informação detalhada e rigorosa que permita determinar de forma clara e inequívoca a incerteza associada à calibração de material volumétrico.