Abordagem por Processos

2.00

MARGARETE CARDOSO

Informação adicional

Índice

1. INTRODUÇÃO
2. ABORDAGEM POR PROCESSOS NA ISO 9001:2015
2.1. RELACIONAMENTO COM OS REQUISITOS DA ISO 9001:2015
2.2. CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO
2.3. PENSAMENTO BASEADO EM RISCO, PDCA E A ABORDAGEM POR PROCESSOS
2.4. O QUE MUDOU COM A NOVA VERSÃO ISO 9001:2015
2.5. INFORMAÇÃO DOCUMENTADA
2.6. O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA
3. CONCEITO DE PROCESSO
3.1. IDENTIFICAÇÃO E SEQUÊNCIA DOS PROCESSOS. MAPA DE PROCESSOS
3.2. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS
3.3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO
4. CONCLUSÃO

Curriculum Vitae

Margarete Cardoso é Mestre em Gestão e Avaliação de Tecnologias em Saúde. Desde 2001 que trabalha como Técnica de Análises Clínicas no Serviço de Imuno-hemoterapia do Hospital Vila Franca de Xira onde acumula funções de coordenação técnica das áreas da colheita de sangue e hospital de dia e é a Dinamizadora para a Qualidade e Segurança do Doente. As suas áreas de interesse são a imuno-hematologia, a gestão da qualidade e a área renal.

Referências Bibliográficas

Juran, J. M. (1989). Juran on leadership for quality. New York: Free Press.

Pires, A. (2007). Qualidade. Sistemas de Gestão da Qualidade. 3ª edição, Edições Sílabo, Lda. Lisboa.

Juran, J. e Godfrey, A. (1998). Juran’s Quality Handbook. 5ª edição, Edições McGraw-Hill. Estados Unidos da América.

Paiva, A., Monteiro, A., Madeira, A., et al. (2001). Manual Prático para a Certificação e Gestão da Qualidade com base nas Normas ISO 9000:2000. 5ª edição, Verlag Dashofer. Lisboa.

APCER – Associação Portuguesa de Certificação. (2003). Guia Interpretativo ISO 9001:2000. Porto.

Serviço de Imuno-hemoterapia do Hospital Vila Franca de Xira. (2012). Manual da Qualidade – Serviço de Imuno-hemoterapia. Vila Franca de Xira.

NP EN ISO 9001:2008 (2008). Norma Portuguesa para sistemas de gestão da qualidade. Requisitos (ISO 9001:2008). Instituto Português da Qualidade. Lisboa.

Fuchs, E. (1998). Customer Service. Em: J. Juran e A. Godfrey, Juran’s Quality Handbook. Edições McGraw-Hill. Estados Unidos da América.

Riley, J. (1998). Process Management. Em: J. Juran e A. Godfrey, Juran’s Quality Handbook. Edições McGraw-Hill. Estados Unidos da América.

Aranaz, J.M., Mira, J. J. e Beltrán, J. (2003). La gestión por procesos asistenciales integrados. Neurologia. 18: 48-56.

Araújo, T. (2005). Implantando uma “Gestão orientada por processos” alinhada ao Sistema de Gestão (ISO’s, OHSA’s, SA e PNQ. Acedido a 15 de novembro de 2013, em: http://www.slideshare.net/ergobebarum/processos-presentation.

Goulart, N. (2010). Gestão de Processos. Acedido a 15 de novembro de 2013, em: http://www.slideshare.net/goulart.sousa/gesto-de-processos3647904.

Moreira, M. (s.d.). Abordagem sistêmica e gestão por processos. Acedido a 15 de novembro de 2013, em: http://www.leansixsigma.com.br/ACERVO/ACERVO_54172954.pdf.

Nóbrega, K. (2012). A diferença entre objetivos e metas. Acedido a 24 de novembro de 2013, em:

http://klebernobrega.wordpress.com/2012/07/16/a-diferenca-entre-objetivos-e-metas/.

ABCQ – Associação Brasileira de Controle de Qualidade. (2013). Indicadores, Objetivos e Metas para Qualidade. Acedido em 24 de novembro de 2013, no Web site da: Associação Brasileira de Controle de Qualidade (ABCQ):

http://www.abcq.org.br/13/indicadores–objetivos-metas-qualidade.html.

APCER – Associação Portuguesa de Certificação. (2015). Guia do Utilizador ISO 9001:2015. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: apcergroup:

http://www.apcergroup.com/portugal/images/site/graphics/guias/APCER_GUIA_ISO9001_2015.pdf

Castilho, A. (s.d.). Gestão e Qualidade nas Organizações: Subcláusula 0.2 – Abordagem por Processos. Acedido em 19 de novembro de 2013, no Web site da: gestão qualidade dashofer:

http://gestao-qualidade.dashofer.pt/?s=modulos&v=capitulo&c=16332.

Cicco, F. (2007). Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação. Acedido em 15 de novembro de 2013, no Web site do: Centro da Qualidade, Segurança e Produtividade para o Brasil e América Latina (QSP):

http://www.qsp.org.br/biblioteca/pdf/abordagem_processo.pdf

Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. indicador. Acedido em 24 de novembro de 2013, no Web site da: Infopedia: http://www.infopedia.pt/pesquisa.jsp?qsFiltro=0&qsExpr=indicador.

Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. meta. Acedido em 24 de novembro de 2013, no Web site da: Infopedia: http://www.infopedia.pt/pesquisa.jsp?qsFiltro=0&qsExpr=meta.

Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. objetivo. Acedido em 24 de novembro de 2013, no Web site da: Infopedia: http://www.infopedia.pt/pesquisa.jsp?qsFiltro=0&qsExpr=objetivo.

EQUABENCH – Benchmarking European Excellence (s.d.). Liderança e Constância de Propósitos. Guia de Práticas Inovadoras. Acedido em 24 de novembro de 2013, no Web site do: Centro de Reabilitação Profissional de Gaia (CRPQ):

http://www.crpg.pt/estudosProjectos/Projetos/Documents/EQUABENCH/ContinuousImprovement_PT.pdf

Fonseca, L. (2015). A ISO 9001:2015. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: Universidade do Minho:

http://apolo.dps.uminho.pt/eventos/sem_qual2015/sem_qualidade_luis_fonseca.pdf

Freitas, A. (2011). KPI – Indicador de desempenho de processo. Acedido em 17 de novembro de 2013, no Web site da: Academia Platónica:

http://academiaplatonica.com.br/2011/gestao/kpi-indicador-de-desempenho-de-processo/.

G-QUOD. (2010). A abordagem por processos. Acedido em 15 de novembro de 2013, no Web site da: G-QUOD Consultores de Gestão Lda:

http://www.g-quod.com/index_files/processos_abord.htm

Instituto Andaluz de Tecnologia (IAT). Guía para una gestión basada en procesos. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: Centros de Excelência:

http://www.centrosdeexcelencia.com/dotnetnuke/portals/0/guiagestionprocesos.pdf

ISO/TC 176/SC 2/N 544R3 (2008). ISO 9000 Introduction and Support Package: Guidance on the Concept and Use of the Process Approach for management systems. Acedido em 15 de novembro de 2013, no Web site da: ISO:

http://www.iso.org/iso/04_concept_and_use_of_the_process_approach_for_management_systems.pdf.

ISO/TC 176/SC2/N1286. Guidance on the requirements for Documented Information of ISO 9001:2015. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: ISO: http://www.iso.org/iso/documented_information.pdf

ISO/TC 176/SC2/N1289. The Process Approach in ISO 9001:2015. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: ISO: http://isotc.iso.org/livelink/livelink/fetch/2000/2122/-8835176/-8835848/8835872/8835883/ISO9001Process_Approach.docx

ISO 9000:2015(en). Quality management systems – Fundamentals and vocabulary. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: ISO: https://www.iso.org/obp/ui/#iso:std:iso:9000:ed-4:v1:en

ISO 9001:2015(en). Quality management systems – Requirements. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: ISO: https://www.iso.org/obp/ui/#iso:std:iso:9001:ed-5:v1:en

Lorentz, L., Hartmann, M. e Polacinski, E. (2012). Método de Tomada de Ações com base em Indicadores de Qualidade: o Caso de uma Indústria Termoplástica. Acedido em 15 de novembro de 2013, no Web site da: Fahor Faculdade Horizontina:

http://www.fahor.com.br/publicacoes/sief/2012_4.MÉTODODETOMADADEAÇÕESCOMBASEEMINDICADORESDEQUALIDADE-OCASODEUMAINDÚSTRIATERMOPLÁSTICA.pdf

QSP. (2003). Orientação sobre a abordagem de processo para sistemas de gestão da qualidade. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: QSP (Centro da Qualidade, Segurança e Produtividade): http://www.qsp.org.br/biblioteca/orientacao_abordagem.shtml

QSP. (2007). Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação. Acedido em 27 de janeiro de 2016, no Web site da: QSP (Centro da Qualidade, Segurança e Produtividade):

http://www.qsp.org.br/biblioteca/pdf/abordagem_processo.pdf

Wikipédia. (2013). Planejamento estratégico. Acedido em 23 de novembro de 2013, no Web site da Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Planejamento_estratégico.