Qualidade da informação financeira no setor da construção: análise para o período 2011-2013

2.00

LUÍS NETO • JOSÉ MOREIRA

Resumo

O presente estudo discute a qualidade da informação financeira no setor da construção português. Fá-lo investigando se as empresas utilizam a flexibilidade existente nas normas contabilísticas, em particular no que respeita às perdas por imparidade em dívidas a receber (IDR), para discricionariamente atuarem sobre o resultado no sentido de evitar o reporte de prejuízos ou a não verificação de redução do resultado face ao período precedente.

Utilizando um conjunto de modelos econométricos, consistentes com o que é comum na literatura da especialidade, e uma amostra de empresas com demonstrações financeiras auditadas e sem reservas por parte do revisor de contas, para o período 2011-2013, a evidência empírica coligida corrobora a hipótese de investigação. As empresas do setor, no período considerado, terão manipulado o resultado, condicionando negativamente, desse modo, a qualidade da sua informação financeira. Testes adicionais atestam a robustez dessa evidência.

Palavras-chave: imparidades em dívidas a receber; modelo de “accruals”; manipulação dos resultados; qualidade da informação.

Informação adicional

Índice

1. INTRODUÇÃO
2. QUALIDADE DA INFORMAÇÃO FINANCEIRA
2.1. DEFINIÇÃO
2.2. INCENTIVOS À MANIPULAÇÃO DO RESULTADO
2.3. PERDAS POR IMPARIDADE EM DÍVIDAS A RECEBER
3. DESENVOLVIMENTO DA HIPÓTESE E METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO
3.1. DESENVOLVIMENTO DA HIPÓTESE DE INVESTIGAÇÃO
3.2. METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO
4. SELEÇÃO DA AMOSTRA E ESTATÍSTICAS DESCRITIVAS
4.1. ESPECIFICIDADE DO SETOR
4.2. SELEÇÃO DA AMOSTRA
4.3. ESTATÍSTICAS DESCRITIVAS
5. DISCUSSÃO DOS RESULTADOS EMPÍRICOS
5.1. RESULTADOS-BASE
5.2. TESTES DE ROBUSTEZ E COMPLEMENTARES
6. CONCLUSÕES

Curriculum Vitae

Luis Manuel Moura Neto é licenciado em Contabilidade e Administração pelo Instituto Politécnico do Porto (2009), tendo obtido, em 2015, o grau de Mestre em Contabilidade e Controlo de Gestão pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Atualmente exerce funções como contabilista certificado na empresa de serviços partilhados de um grande grupo económico português. Interesses: Manipulação de resultados, Controlo Interno, Gestão de Risco.

Luis Manuel Moura Neto is graduated in Accounting and Administration from the Polytechnic of Porto (2009). In 2015 he received a master in Accounting and Management Control from the Faculty of Economics of the University of Porto. Currently he performs as a chartered accountant in the shared services company of a Portuguese large economic group. Interests: Earnings management, intern control, risk management.

José António Cardoso Moreira, PhD (Lancaster/UK), é professor auxiliar da Universidade do Porto. É investigador associado do CEF.UP – Centro de Investigação em Economia e Finanças, e os seus interesses de investigação versam o Relato financeiro, a Manipulação e fraude da informação financeira, e Análise financeira. É autor de livros sobre decisões de investimento e análise financeira, e autor de artigos publicados em diversas revistas, nomeadamente no Spanish Journal of Finance and Accounting.

José António Cardoso Moreira, PhD (Lancaster/UK), is an assistant professor at the University of Oporto. He is a research associate at CEF.UP – Research Center in Economics and Finance, and his research interests are Financial Reporting, Earnings Management and Fraud, Financial Analysis. He is the author of books on investment decisions and corporate financial analysis, and published in several journals, namely the Spanish Journal of Finance and Accounting.

Referências Bibliográficas

Baralexis, S. (2004). Creative accounting in small advancing countries: The Greek case. Managerial Auditing Journal. 19(3):440-461

Carrapiço, J. (2010). POC versus SNC – Clientes de cobrança duvidosa. Revista dos Técnicos Oficiais de Contas.120:41-42.

Lee, B. e Choi, B. (2002). Company size, auditor type, and earnings management. Journal of Forensic Accounting. 3(1): 27-50.

Coppens, L. e Peek, E. (2005). An analysis of earnings management by European private firms. Journal of International Accounting, Auditing and Taxation. 14(1): 1-17.

Cunha, A., Correia, A. e Oliveira, P. (2010). Justo valor ou imparidade em contexto de crise. Revista dos Técnicos Oficiais de Contas.129:28-37.

Cunha, M. (2013). Métodos empíricos para detetar práticas de manipulação de resultados. Revista da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas. 63:15-23.

DeAngelo, L. (1986). Accounting numbers as market valuation substitutes: A study of management buyouts of public stockholders. Accounting Review: 400-420.

DeAngelo, H., DeAngelo, L. e Skinner, D. J. (1994). Accounting choice in troubled companies. Journal of accounting and economics. 17(1-2):113-143.

Dechow, P. (1994). Accounting earnings and cash flows as measures of firm performance: The role of accounting accruals. Journal of Accounting and Economics.18(1): 3-42.

Dechow, M. e Schrand, C. (2004). Earnings Quality. New York: The Research Foundation of CFA Institute.

Elliott, J. e Shaw, W. (1988). Write-Offs as Accounting Procedures to Manage Perceptions. Journal of Accounting Research. 26: 91-119.

Healy, P. (1985). The effect of bonus schemes on accounting decisions. Journal of Accounting and Economics. 7(1): 85-107.

Healy, P. e Wahlen, J. (1999). A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting horizons.13(4): 365-383.

Jackson, S. e Liu, X. (2010). The allowance for uncollectible accounts, conservatism, and earnings management. Journal of Accounting Research. 48(3): 565-601.

Jarva, H., (2007), Impairment write-offs, discretionary accruals, and earnings persistence, “Working Paper”. Acedido em 31 de agosto de 2015 no Web site da University of Turku: http://www.utu.fi/fi/yksikot/tse/yksikot/laskentatoimi-jarahoitus/tutkimus/Documents/Jarva.pdf

Jones, J. (1991). Earnings management during import relief investigations. Journal of Accounting Research. 29: 193-228.

Jones, M. (2011). Creative accounting, fraud and international accounting scandals. John Wiley & Sons.

McNichols, M. e Wilson, G. (1988). Evidence of earnings management from the provision for bad debts. Journal of Accounting Research. 26: 1-31.

Moreira, J. (2006). Are financing needs a constraint to earnings management? Evidence for private Portuguese firms. CETE discussion papers, 610.

Moreira, J. (2008). A manipulação dos resultados das empresas: um contributo para o estudo do caso português. Jornal de Contabilidade da APOTEC. 373:112-120

Mulford, C. e Comiskey, E. (2002). The Financial Numbers Game, Detecting Creative Accounting Practices. John Wiley & Sons. Inc. Canada

Rua, R. (2012). Perdas por Imparidade em Dívidas a Receber e Características Empresariais: Uma análise para o caso Português. Dissertação de Mestrado em Contabilidade, Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Porto

Sá, S. (2014). Auditoria e Manipulação dos Resultados através das Imparidades em Dívidas a Receber de Clientes: Um Estudo para o Caso Português. Dissertação de Mestrado em Contabilidade e Controlo de Gestão, Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Porto.

Schipper, K. (1989). Commentary on earnings management. Accounting horizons. 3(4): 91-102.

Spear, N. e Taylor, A. (2011). Asset Write-downs: Evidence from 2001–2008. Australian Accounting Review. 21(1): 14-21.

Tse, R. Y e Ganesan IV, S. (1997). Causal relationship between construction flows and GDP: evidence from Hong Kong. Construction Management & Economics. 15(4): 371-376.

Watts, R. L., & Zimmerman, J. L. (1978). Towards a positive theory of the determination of accounting standards. Accounting Review. 53(1): 112-134.

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Qualidade da informação financeira no setor da construção: análise para o período 2011-2013”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *