Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Select a Page:
Scroll to top

Top

TMQ – A Qualidade numa Perspectiva Multi e Interdisciplinar – N.o 0

TMQ0

TMQ – A Qualidade numa Perspectiva Multi e Interdisciplinar – Edição N.o 0

Editores:

Margarida Saraiva António Teixeira

ISSN online 2183-0932

ISBN: 978-972-618-521-5

No momento em que o Departamento de Métodos Quantitativos (DMQ) da ISCTE Business School (IBS) procede ao lançamento de mais uma publicação, dedicada à Qualidade, contando para o efeito com o apoio dos centros associados do ISCTE Grupo de Investigação Estatística e Análise de Dados (GIESTA) e Unidade de Investigação em Desenvolvimento Empresarial do ISCTE (UNIDE), cabe-nos na qualidade de editores tecer algumas considerações sobre os objectivos que presidiram a esta iniciativa bem como em relação a este número de lançamento. Queremos ainda registar e agradecer o apoio dado desde a primeira hora pela Associação Portuguesa de Qualidade (APQ) e referir expressamente o nosso agradecimento ao seu presidente, Eng. Figueiredo Soares, pela sua disponibilidade para integrar o Conselho editorial, bem como para apoiar futuramente a divulgação das publicações relacionadas com esta série dos TMQ.

Qualidade: tendências actuais e futuras

27/02/2013 | Este artigo visa analisar a relação entre a Gestão pela Qualidade Total (GQT) e a Inovação, e as relações entre estas dimensões e o Desempenho Organizacional. A revisão da literatura indica alguma divergência relativamente às conclusões apresentadas pelos autores que estudaram a relação entre a GQT e a inovação. Alguns consideram a GQT um suporte à inovação. Outros concluem que a GQT é um fator impeditivo à inovação. Apesar de não existir consenso acerca da relação entre a GQT e o desempenho organizacional, a maioria dos investigadores constata que as práticas de GQT melhoram o desempenho organizacional. Relativamente à relação entre inovação e desempenho organizacional, os investigadores têm opinião consistente pelo que se admite uma relação direta positiva entre as duas dimensões. Baseado na revisão da literatura, é proposto um modelo conceptual que inclui as diferentes relações e que depois de testado poderá fornecer caminhos alternativos à melhoria do desempenho organizacional.

Porque foi o Japão pioneiro da adopção da gestão da qualidade?

27/02/2013 | O núcleo de ideias da Gestão da Qualidade, neste momento paradigmático no entender dos autores, foi delineado nos Estados Unidos por Walter Shewhart. No entanto a sua aplicação à prática da gestão das organizações começou no Japão imediatamente após o fim da Segunda Guerra Mundial, sendo na altura quase completamente ignorado na origem. O presente artigo aponta as condições existentes na altura que explicam este facto.

Qualidade e estratégia

27/02/2013 | 1 Os autores têm vindo a debruçar-se desde o início da década de 1990 sobre o relacionamento entre a gestão da qualidade e a estratégia das organizações, estando de momento a delinear um modelo de integração denominado QualStrategy cujas linhas gerais são apresentadas noutro artigo incluído nesta publicação (António e Teixeira, 2008). O presente artigo apresenta conclusões obtidas numa análise prévia, levada a cabo com o objectivo de identificar as linhas de força dominantes que condicionam a obtenção de um modelo sólido, desenvolvido numa situação caracterizada por uma acelerada evolução da complexidade da envolvente.

QualStrategy: cuidar do presente e preparar o futuro

27/02/2013 | O modelo QualStrategy que estamos a desenvolver tem por objectivo a junção dos princípios da gestão da qualidade (tendo em vista a obtenção da eficiência organizacional) com o momento do movimento da teoria da gestão estratégica (no âmbito da satisfação de necessidade latentes do consumidor, criando novas oportunidades que garantam a sobrevivência da organização). De acordo com a teoria do momento do movimento, as organizações devem preocupar-se em construir espaços estratégicos próprios que resultam essencialmente de uma filosofia de gestão orientada para os recursos e a inovação (António, 2006). Ao contrário do momento do posicionamento, os autores que defendem o movimento assumem o desequilíbrio como uma constante da economia e que o principal (talvez o único) objectivo das organizações consiste em provocar desequilíbrios com vista a cobrar rendas de inovação. Para o momento do movimento não faz sentido prosseguir rendas monopolísticas pois as posições de monopólio são sempre efémeras, sendo preferível a autocanibalização à efectuada por concorrentes.

Uma visão global sobre a qualidade em serviços

27/02/2013 | Os serviços têm vindo a crescer de forma significativa e representam, nos países desenvolvidos, uma parte significativa da actividade económica. As razões para tal crescimento são de vária ordem, sendo algumas delas discutidas no presente trabalho. Debatem-se, também, o significado de serviço e diversas formas de proceder à sua classificação. Por outro lado, evidencia-se que os serviços exibem características específicas que impossibilitam a transposição directa de técnicas e métodos de análise desenvolvidos para ambientes industriais. Neste enquadramento, são abordadas tais especificidades e discutidas as suas implicações, nomeadamente em matéria de Qualidade. Aliás, estando as questões relativas à investigação no domínio da Qualidade em Serviços, em larga medida, na ordem do dia, delas se traçam os contornos da sua envolvente e potenciais percursos de investigação.

Qualidade e inovação: principais implicações nas organizações portuguesas

27/02/2013 | A Gestão da Qualidade Total tem sido amplamente aceite como um modelo de gestão que reforça as vantagens competitivas das empresas que o implementam com sucesso. Contudo, as condições de mercado alteram-se frequentemente e as organizações têm que se adaptar, mantendo a qualidade e, simultaneamente, tornarem-se flexíveis, possuindo capacidade de resposta e criatividade, o que significa serem inovadoras. Inovar sem qualidade poderá conduzir a organização a um resultado efémero. Porém, o mercado pode não reconhecer essa inovação desprovida de qualidade. Neste sentido, é possível detectar sinais de convergência entre os conceitos de qualidade e inovação, que poderão resultar em benefícios recíprocos no âmbito das organizações.

El Modelo EFQM de Excelencia como facilitador de la adopción de un proceso integrador de formación de la estrategia: un estudio de caso

27/02/2013 | La adopción de una perspectiva integradora en el estudio del proceso de formación de la estrategia sugiere que la mejor forma que tienen las organizaciones de competir en los entornos actuales es mediante una estrategia aplicada a través de un proceso que combine elementos racionales y emergentes. Desde esta perspectiva, el objetivo central de nuestra investigación es intentar averiguar si la aplicación del Modelo EFQM de Excelencia facilita la adopción de un proceso estratégico a la vez racional y emergente. Para llevar a cabo el análisis hemos utilizado el caso de la Autoridad Portuaria de Valencia (APV) con fines explicativos. De su análisis obtenemos como una de las conclusiones principales que el impacto de la aplicación del Modelo EFQM de Excelencia en el proceso de formación de la estrategia de la APV es muy relevante, destacando el importante cambio que la aplicación del modelo va a generar en cuanto al carácter emergente del proceso de formación. Está previsto que el empowerment, la implicación y la participación, resulten afectados significativamente y de forma positiva a raíz de la aplicación del modelo.

Costes de calidad y de no calidad: delimitación de conceptos y reflexiones en cuanto al papel de la contabilidad de gestión

27/02/2013 | En una época en la que la variable calidad en el universo empresarial es especialmente relevante y significativa entre los factores críticos para la obtención de ventajas competitivas, toma también redoblada importancia la identificación y cuantificación de los costes de la calidad. La implementación de un sistema consistente para identificación, cuantificación y control de estos costes es importante en la consecución de ese objetivo, al apoyar el proceso de toma de decisiones, y principalmente al hacer visibles las relaciones entre los costes totales relacionados con la calidad – costes de calidad y costes de no calidad – y las causas y, de esa forma, identificar actuaciones para su reducción. En este trabajo se pretende evidenciar la contribución de la contabilidad de gestión en la consecución de programas de calidad y, en concreto, en la gestión de los costes de calidad, desde una perspectiva de mejora de la eficiencia y de la creación de valor que se le asocia.

Controlo estatístico do processo em sistemas produtivos com grande diversidade de produtos

27/02/2013 | A implementação do controlo estatístico do processo (SPC) pressupõe, tradicionalmente, a existência de grandes volumes de produção durante largos períodos de tempo. No entanto, constata-se que o ambiente produtivo se alterou substancialmente nos últimos anos, verificando-se que existem actualmente vários processos a ocorrerem simultaneamente e a produzirem, muitos deles, uma grande diversidade de produtos em quantidades relativamente pequenas. Esta situação dificulta a implementação da abordagem clássica do SPC, sendo necessário recorrer a novas metodologias e técnicas que permitam resolver questões relacionadas com os actuais contextos produtivos: pequenos volumes de produção, grande diversidade de produtos e/ou características da qualidade a controlar, períodos curtos de produção e fabricação por lotes. Apresenta-se neste trabalho uma metodologia inovadora tanto para o controlo estatístico como para a análise da capacidade dos processos, quando existe um número diversificado de produtos e/ou características a controlar. Esta metodologia abrange duas situações, designadamente aquela em que existe um número suficiente de dados para estimar os parâmetros dos processos (média e variância) e a situação em que esse número é manifestamente insuficiente.

A qualidade na Delta Cafés

27/02/2013 | A Delta conseguiu obter uma diferenciação inimitável ao longo do tempo, porque desde a sua fundação, desenvolveu uma estratégia de responsabilidade social que incorpora as necessidades de todas as partes interessadas, dando origem a um sistema de gestão de rosto humano que se caracteriza pelo diálogo, empreendedorismo responsável, formação ao longo da vida e pela inovação disruptiva.

Qualidade e certificação: aplicação empírica numa organização certificada pela norma ISO 9001

27/02/2013 | Actualmente, numa sociedade em constante mudança, em que a obtenção e a melhoria da qualidade é considerada como uma vantagem competitiva sustentada, a certificação tem vindo a assumir, cada vez mais, um papel bastante importante no seio das organizações. Neste mercado global, a qualidade e a certificação são factores de diferenciação e são ferramentas de vital importância para o sucesso da gestão das organizações, pela garantia de que os processos são desenvolvidos segundo um conjunto de normas de referência pré-estabelecidas, que conferem quali- dade no produto concedido ou no serviço prestado.

Qualidade e o modelo Common Assessment Framework (CAF): estudo empírico nos Serviços Académicos da Universidade de Évora

27/02/2013 | Uma das condições que mais influencia a competitividade entre as instituições de ensino é a qualidade. Sendo a sociedade cada vez mais exigente é necessário medir e avaliá-la. A utilização de uma ferramenta de auto-avaliação, desenvolvida ao nível da União Europeia, a Common Assessment Framework (CAF), que teve como modelo de origem o European Foundation for Quality Management (EFQM), veio permitir a medição da qualidade dos serviços prestados na administração pública. Este estudo apresenta os diversos aspectos referentes à temática da qualidade, o modelo CAF e os principais resultados obtidos num inquérito, junto de algumas partes interessadas dos serviços em análise na organização em estudo (alunos, colaboradores e gestores).

Recuperar Password

Por favor, introduza o seu e-mail. Vai receber uma nova password via e-mail.