IV Encontro de Tróia

IV-Encontro-de-Tróia-Banner

Comissão Organizadora

Álvaro Rosa (ISCTE-IUL)

António Ramos Pires (Instituto Politécnico de Setúbal)

Luís Lourenço (Universidade da Beira Interior)

Margarida Saraiva (Universidade de Évora)

Patrícia Moura e Sá (Universidade de Coimbra)

Paulo Sampaio (Universidade do Minho)

Índice

Liderança Escolar e Satisfação com o Líder: uma relação que Qualidade?

Cristina Almeida • Helena Pratas • Henrique Lopes

Resumo

A Qualidade da Educação é influenciada por inúmeros factores e pode ser medida por diversos indicadores e uma multiplicidade de perspetivas. O nosso estudo pretende concretizar somente uma dessas perspetivas. A diferença que queremos enfatizar entre a liderança transacional e a transformacional, prende-se com o facto de a primeira estar relacionada, essencialmente, com gestão de recursos humanos (professores no caso do estudo efetuado) e a outra estar focada na gestão de pessoas o que evidencia uma priorização diferente, por parte do Líder, no que diz respeito às competências de cariz técnico face às competências relacionais e emocionais. Estudámos a relação entre satisfação dos docentes e o tipo de liderança – transacional ou transformacional a que poderiam estar sujeitos. Foram inquiridos 142 docentes de Lisboa e Alentejo com as ferramentas QML e JDI. Os resultados do estudo suportam os objetivos esperados, isto é, confirmam que o líder transformacional influencia a satisfação dos professores com o líder, e com o trabalho, mais que o transacional. No entanto, não se encontra suporte para a hipótese de que existem diferenças entre variáveis sociodemográficas e a satisfação.

Palavras-chave: Liderança transacional, Liderança transformacional; Satisfação.



Avaliação da Qualidade das Escolas: Mecanismos de Regulação e Lógicas de Ação dos Atores Escolares

Carla Chainho • José Saragoça

Resumo

A avaliação de qualidade das escolas é uma temática bastante presente na sociedade contemporânea. Assumida como um mecanismo fundamental para conhecer o estado e funcionamento da organização, a avaliação pode contribuir sobremaneira para a melhoria do funcionamento da organização, ou seja para o desenvolvimento da qualidade dos serviços prestados. Tendo em conta que as escolas foram adquirindo alguma autonomia, torna-se fundamental proceder à sua avaliação externa, na perspetiva da prestação de contas (accountability) e das caraterísticas da Nova Gestão Pública. A avaliação de escolas, orientada para potenciar a qualidade dos resultados, da melhoria da prestação do serviço educativo e do exercício das lideranças das organizações escolares, pode também permitir-nos averiguar as relações e perceções existentes entre os diversos atores sociais que fazem parte e formam a escola, de modo a que possamos interpretar a complexidade do sistema, privilegiando as ações e não as intenções. Neste quadro, os atores escolares rentabilizam projetos, estratégias e recursos que sejam uma mais-valia para o estabelecimento de ensino no quadro de processos de avaliação tidos como um ato regulador baseado do conhecimento. Nesta comunicação procuraremos apresentar e fundamentar uma proposta de investigação de doutoramento que toma como objeto de estudo a avaliação e qualidade das escolas sob uma perspetiva sociológica que tenta compreender os mecanismos de regulação e as lógicas de ação entre os atores escolares no quadro das atividades de avaliação destas organizações.

Palavras-Chave: Avaliação da Qualidade; Escolas; Lógicas de Ação, Regulação.



Gestão Integrada da Qualidade, Investigação, Desenvolvimento e Inovação numa Instituição de Ensino Superior

Liliana Cunha • Dorabela Gamboa • Manuel Moura

Resumo

Saraiva & D’Orey (1999) defendem que a inovação e a qualidade se apresentam como vantagem competitiva, que faz a diferença na sobrevivência das organizações em ambientes de crescente mudança e competitividade. Rolo & Saraiva (2011, p.1) acrescentam “A inovação, tal como a qualidade têm como objectivo a satisfação do cliente final, pelo que o resultado da implementação de estratégias de qualidade e de inovação, conduzirá ao aumento da competitividade e à criação de valor”. O projeto desenvolvido teve como objetivo implementar numa Instituição de Ensino Superior, o Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e da Investigação, Desenvolvimento e Inovação, denominado de Sistema Integrado de Gestão (SIG). No sentido de adquirir alicerces para um melhor entendimento do tema, efetuou-se um estudo pormenorizado acerca da inovação, onde são abordados alguns conceitos em torno da inovação e do modelo de interações em cadeia. Após o estudo inicial, procedeu-se ao levantamento dos requisitos comuns aos referenciais normativos, NP 4457:2007 e NP EN ISO 9001:2008, à implementação do sistema Innovation Scoring, à atualização dos documentos do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) e à criação e implementação de procedimentos obrigatórios do Sistema de Gestão da IDI (SGIDI). Deste projeto resulta a implementação do SIG numa Instituição de Ensino Superior, que vai permitir uma gestão eficiente e eficaz a todos os níveis (institucional, intermédio e operacional), baseado na sistematização e otimização de processos e procedimentos de Gestão da Qualidade e da IDI.

Palavras-Chave: NP 4457:2007; NP EN ISO 9001:2008; Sistemas de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação; Sistemas de Gestão da Qualidade.



A Implementação do Paradigma de Bolonha num Instituto Politécnico Português – Os Cursos de 2º Ciclo

Joana Duarte • Helena Gonçalves • António Ramos Pires

Resumo

O presente artigo resulta de um estudo desenvolvido no Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) que teve como objetivo identificar e caraterizar as principais alterações pedagógicas (atividades desenvolvidas e dos elementos de avaliação), decorrentes da implementação do Paradigma de Bolonha, nos Cursos de 2º Ciclo. Em 2008/2009 foi desenvolvido pela Unidade para a Avaliação e Qualidade (UNIQUA/IPS) um questionário com o objetivo de caraterizar as mudanças introduzidas nos cursos de 1º e 2º ciclo. O questionário era composto por 17 questões (12 fechadas e 5 abertas) e foi respondido por 76 docentes responsáveis pelas Unidades Curriculares dos Mestrados de 3 das 5 escolas do IPS: Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (EST Setúbal), Escola Superior de Educação (ESE) e Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE). Os resultados mostraram que, após Bolonha, continuavam a prevalecer as metodologias de carater expositivo, apesar de evidenciarem uma maior participação e envolvimento por parte dos estudantes. Das mudanças decorrentes do Paradigma de Bolonha destacam-se a orientação tutorial (embora a abordagem a esta atividade seja específica de cada escola) e a comunicação com o professor por correio eletrónico no âmbito das tarefas escolares. Relativamente ao peso relativo das modalidades de avaliação, as modalidades com maior peso relativo continuaram a ser as atividades desenvolvidas autonomamente pelos estudantes. Este estudo não questionou aspetos importantes como: competências desejadas e atingidas, relação entre os conteúdos e as competências, coerência entre os ECTS e a carga total de trabalho, relação entre indicadores de sucesso, abordagens pedagógicas e métodos de aprendizagem adotados pelos estudantes, pelo que está previsto a sua inclusão em estudos futuros.

Palavras-chave: Abordagens pedagógicas, Paradigma de Bolonha.



Avaliação da Satisfação dos Estudantes Face à Qualidade do Ensino, por Área Científica: Estudo no Ensino Superior Politécnico

Renata Freitas • Vanda Lima • Mário Rebelo

Resumo

A avaliação da qualidade do ensino superior na perspetiva dos estudantes tem sido alvo de atenção no plano internacional e nacional. O presente estudo tem como objetivo verificar se existem diferenças significativas na qualidade de instituições de ensino superior politécnico certificadas pela ISO 9001 face a instituições não certificadas, quando avaliadas na perspetiva dos estudantes, por áreas científicas predominantes dos cursos que frequentam. De salientar que as áreas cientificas consideradas englobam as licenciaturas de duas instituições de ensino superior politécnico que se enquadram nas ciências sociais e nas engenharias. A investigação suportou-se numa abordagem quantitativa, através de uma metodologia que assentou na recolha de dados primários através de questionário de autorrelato, ministrado on-line aos estudantes destas duas instituições, sendo que uma destas apresenta certificação pela ISO 9001 e outra não, contando com a participação de 146 estudantes. Os dados obtidos demonstram existirem diferenças nos resultados obtidos por área científica, com a instituição certificada a apresentar médias de satisfação inferiores. Assim, os resultados obtidos parecem indiciar que este referencial poderá não ser um bom instrumento para garantir a qualidade do ensino.

Palavras-chave: Áreas Científicas; Ensino Superior Politécnico; Estudantes; ISO 9001.



Padrão Gravimétrico de Medição de Caudal de Fluídos e Extensão da Capacidade

ANDRÉ BANDEIRA • ELSA BATISTA • EDUARDA FILIPE • HELENA NAVAS

Resumo

O presente trabalho será focado no desenvolvimento e nos respectivos ensaios experimentais de um padrão primário de medição de micro caudal, desenvolvido em parceria pelo Laboratório de Volume (LVO) do Instituto Português da Qualidade (IPQ) com o Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial (DEMI) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT/UNL), que permita a rastreabilidade e calibração de equipamentos no Laboratório Central de Metrologia do Instituto Português da Qualidade, nomeadamente caudalimetros e instrumentos infusores utilizados na área da saúde para administração de fármacos. O projecto tem como objectivo final a obtenção de dois padrões gravimétricos de medição de caudal de fluidos, um para operar entre 10 mL/min e 0,001 mL/min e outro extensível até 100 mL/min. Para a obtenção de resultados adequados nos ensaios efetuados é necessário monitorizar um conjunto de condições ambientais e do líquido padrão (temperatura, pressão e humidade). Outro fator importante é a caracterização de fontes de incerteza, que permitem obter um resultado completo da medição. Para obter avaliação e estimativa da incerteza de medição usa-se o procedimento descrito no GUM [4]. Neste projecto estão contempladas fontes de incerteza como as associadas a evaporação, impulsão do tubo, resolução da balança, entre outras.

Palavras-Chave: Incerteza, Medição de Caudal, Metrologia, Padrão Gravimétrico.



Validação de um Sistema de Pesagem Hidrostática para a Medição da Massa Volúmica de Líquidos

SÉRGIO JACINTOS • ANDREIA FURTADO • ISABEL SPOHR • EDUARDA FILIPE • HELENA NAVAS

Resumo

A massa volúmica de um material constitui a grandeza que caracteriza a massa contida por unidade de volume, expressa em unidades do SI em kg/m3. Um dos métodos mais complexos, tanto na sua execução experimental como na obtenção do resultado final com o respetivo cálculo de incerteza, e que garante a rastreabilidade da grandeza massa volúmica às grandezas de base, massa e volume, é o método de pesagem hidrostática. Este método baseia-se no princípio de Arquimedes, que enuncia que a força de impulsão que atua num sólido quando mergulhado num líquido é igual ao peso do volume do líquido deslocado pelo sólido. Esta comunicação apresenta o “estado da arte” das medições de massa volúmica de líquidos realizados no Laboratório Nacional de Metrologia do Instituto Português da Qualidade através do método de pesagem hidrostática. Serão apresentados os resultados da validação do sistema de medição devido à introdução de novos componentes. São ainda evidenciados conceitos importantes na determinação desta grandeza.

Palavras-Chave: Calibração; massa volúmica; pesagem hidrostática; padrão de massa.



Rastreabilidade e Método de Avaliação no Laboratório Primário de Fotometria

DAVID NUNES • OLIVIER PELLEGRINO • CARLOS PIRES • EDUARDA FILIPE • HELENA NAVAS

Resumo

ADesde dezembro de 2005, o Laboratório de Fotometria do Instituto Português da Qualidade (IPQ), o Laboratório Nacional de Metrologia de Portugal, tem os instrumentos de medição e as instalações instrumentais para a manutenção do padrão nacional da candela, a unidade da intensidade luminosa e o desenvolvimento dos padrões metrológicos nacionais de fotometria, como os demais laboratórios primários da respetivas unidades de base, do IPQ. No âmbito da norma NP EN ISO/IEC 17025, o Laboratório de Fotometria do IPQ efetua calibrações de lâmpadas em intensidade luminosa e de luxímetros, em iluminância. Esta breve comunicação apresenta os meios do Laboratório utilizados para garantir os seus objetivos dentro do quadro normativo citado. Assim, após uma rápida introdução aos meios instrumentais e a sua rastreabilidade ao SI, os métodos de validação dos resultados de medição são apresentados. Trata-se essencialmente de métodos estatísticos presentes em procedimentos de validação interna e externa. Trata-se também, de participação em comparação entre laboratórios. O Laboratório de Fotometria do IPQ participou assim na comparação chave de intensidades luminosas da associação europeia de laboratórios nacionais de metrologia (EURAMET).

Palavras-Chave: Rastreabilidade, sistema de qualidade, fotometria, NP EN ISO/IEC 17025.



Otimização do Sistema Experimental para a Calibração de Acelerómetros-Padrão

CARLA PEREIRA • ISABEL GODINHO • LUÍS RIBEIRO • HELENA NAVAS

Resumo

As mais recentes técnicas associadas à calibração absoluta de acelerómetros-padrão recorre da interferometria laser onde são utilizados um ou mais detetores para a aquisição do sinal ótico. Neste estudo são usados dois detetores com vista à implementação do Método da Diferença de Fase, o qual permite a determinação do valor do deslocamento em função da amplitude de fase, calculada com base nestes dois sinais óticos, e considerando a diferença de fase entre dois extremos do deslocamento. Por dupla derivação absoluta do deslocamento em ordem ao tempo, obtém-se a respetiva amplitude de aceleração. Através do sistema de calibração absoluto de acelerómetros-padrão procura-se obter o deslocamento relativo, cuja unidade no Sistema Internacional de unidades (SI) é o metro, tendo como referência o comprimento de onda da radiação laser e a frequência de excitação do movimento imposto, neste caso, do tipo sinusoidal. O sistema experimental utilizado é constituído por um interferómetro de Michelson modificado, um sistema de excitação de movimento, instrumentação associada e por um sistema de aquisição e tratamento de dados. São apresentados e discutidos os resultados experimentais obtidos na calibração de um acelerómetro-padrão, através do método da diferença de fase, e validados considerando o método da contagem de franjas.

Palavras-Chave: Acelerómetros-padrão, calibração, incerteza, interferometria laser.



Requisitos de Qualidade nos Tratamentos Térmicos de Juntas Soldadas

ALEXANDRE SILVA

Resumo

Os tratamentos térmicos de soldadura são processos cuja qualidade é fulcral para a sua aplicação em serviço, assegurando que as propriedades mecânicas definidas para um dado material/componente estão em conformidade com o projetado. Pretende-se, com este trabalho, demonstrar a importância do cumprimento dos referenciais normativos, concretamente a NP EN ISO 9001:2008, a título genérico, e a EN ISO 17663:2009 com incidência direta nos requisitos de qualidade para o tratamento térmico de soldaduras (Quality requirements for heat treatment in connection with welding and allied processes).

Palavras-Chave: tratamento térmico após soldadura; qualidade; NP EN ISO 9001:2008; EN ISO 17663:2009.



Abordagens à Qualidade nas Organizações Portuguesas: Impacto no Desempenho Organizacional

SÍRIA BARROS • PAULO SAMPAIO • PEDRO SARAIVA

Resumo

O objectivo deste projecto de investigação é o desenvolvimento de um modelo conceptual que retrate a relação entre a implementação de práticas de gestão da qualidade e o seu impacto no desempenho organizacional das Organizações Portuguesas. A primeira fase do projecto de investigação, baseada numa revisão exaustiva da literatura, permitiu a identificação das práticas de gestão da qualidade mais comuns e que tem vindo a ser mais usadas. A fase seguinte consistirá na realização de um conjunto de entrevistas semi-estruturadas a reconhecidos especialistas nacionais na área da qualidade, com o intuito de validar o trabalho de investigação realizado na fase anterior. Tendo por base a metodologia de estudos de caso, na terceira fase, vão ser realizadas um conjunto de visitas a Organizações Portuguesas com o objectivo de comprovar os estudos realizados nas fases anteriores. Actualmente, encontramo-nos na fase quatro do projecto, que consiste no desenvolvimento do modelo conceptual, que tem, como principal objectivo, explicar a relação entre a adopção de determinadas práticas e abordagens à qualidade e o seu impacto no desempenho da qualidade das organizações. O modelo desenvolvido vai ser validado estatisticamente baseado num questionário que será enviado às Organizações Portuguesas. Na metodologia estatística recorrer-se-á à técnica dos Modelos Estruturados de Equações (structural equation modeling technique –SEM).

Palavras-Chave: Práticas de gestão da Qualidade, medição do desempenho (qualidade), Modelação.



Medir a Qualidade com o Processo Analítico de Hierarquia

ANTÓNIO FERNANDESO

Resumo

Objetivo: A qualidade não é um conceito absoluto e tem sempre presente as expetativas dos clientes, pelo que admite a atribuição de graus ou níveis para ser adjetivada de fraca, boa ou excelente. Assim, o objetivo deste artigo é quantificar o grau ou níveis da qualidade com recurso ao processo analítico de hierarquia (AHP – Analytic Hierarchy Process). Abordagem metodologia/desenho do estudo: Utilizou-se um focus group de 7 especialistas em produção alimentar em restauração, e foi implementado o cálculo matricial utilizado no AHP. Resultados: Foram calculadas as variáveis da qualidade de uma pizza, e distribuidas numa escala de percentagem de forma hierarquizada para perceção quantificada dessas variáveis. Limitações do estudo / implicações: Trata-se de um estudo exploratório-descritivo sem caráter de generalização. Implicações para a prática empresarial: Sugerimos a utilização da abordagem AHP para melhor compreensão de um problema de investigação antes de um estudo mais profundo. Sugerimos também a utilização do AHP em contextos de micro-segmentação, para melhor conhecimento das caraterísticas da qualidade mais valorizadas pelos clientes. Valor do estudo / originalidade: Trata-se de um método muito utilizado no contexto militar, com valor acrescentado no campo empresarial.

Palavras-Chave: Medição da qualidade, Processo Analítico de Hierarquia, Rácio de consistência, Vetor próprio.



A participação das Pessoas em Dinâmicas de Excelência Organizacional: Comunicar, Envolver, Agir e Melhorar

TELMO HENRIQUES • HENRIQUE O’NEILL

Resumo

Nas áreas de Sistemas e Tecnologias de Informação as iniciativas que procuram o reforço da Qualidade são, frequentemente, reduzidas a visões normativas muito influenciadas por instrumentos de natureza iminentemente operacional e tática (COBIT, ITIL, CMMI e PMBOK) e relegando para segundo plano aspetos importantes de Desenvolvimento Organizacional que sustentam Estratégias de Qualidade e Inovação rumo à Excelência Organizacional. O Programa aqui descrito realça a importância que deve ser dada a estes fatores. Foi realizado numa unidade de TI de uma Instituição Financeira e procurou induzir mudança para, como efeito último, promover ações e despertar comportamentos conducentes à melhoria efetiva da satisfação de Clientes Internos e de Colaboradores. Visou, nesse contexto, atingir objetivos muito específicos de desenvolvimento de uma Cultura de Serviço, de harmonização das práticas de Liderança e de promoção do Envolvimento dos Colaboradores. A inerente intervenção – desenhada e implementada por uma equipa interna, apoiada por consultores, articulada com os responsáveis, suportada por uma Equipa de Agentes de Mudança e patrocinada pela Alta Direção – seguiu, numa perspetiva metodológica, um paradigma de investigação-ação. Efetivamente, não tendo como alvo o desenvolvimento de teorias, mas, fundamentalmente colmatar um gap empírico e um gap metodológico existente num contexto organizacional concreto, este foi o paradigma considerado como mais adequado para o efeito. Como resultado final, a qualidade de serviço melhorou e foram identificadas ações estruturantes potenciadoras de melhorias futuras, as quais foram alvo de implementação subsequente, num segundo ciclo de aprendizagem organizacional. Não sendo estes resultados generalizáveis, consideram-se, no entanto, como passíveis de transposição adaptada a outras Organizações, deles se destacando importantes Implicações para a Gestão, as quais formam a base de relevância deste artigo.

Palavras-Chave: Envolvimento dos Colaboradores, Excelência Organizacional, Investigação-Ação, Liderança.



A Divulgação de Informação no Website das Empresas Portuguesas Certificadas

FILIPE CARVALHO • GILBERTO SANTOS • JOAQUIM GONÇALVES

Resumo

A investigação teve por objetivo explorar o website de 523 empresas certificadas em Qualidade, Ambiente, Segurança e Saúde do Trabalho (QASST). O objeto de estudo visou conhecer quais os conteúdos da informação mais frequentemente divulgados no website das empresas, no âmbito do Sistema Integrado de Gestão (SIG), Sustentabilidade Empresarial (SE) e Responsabilidade Social Empresarial (RSE). O método de investigação baseou-se na técnica da Análise de Conteúdo, para quantificar os conteúdos da informação divulgada. Os conteúdos com maior frequência de divulgação no website, por categoria de análise, são: (i) a existência no website de uma secção/link sobre QASST/SIG (67,3%), (ii) as referências aos Sistemas de Gestão (91,9%), (iii) a Política da Qualidade, Ambiente e Segurança (27,0%), (iv) o Código de Ética & Conduta Empresarial (20,4%), (v) o Relatório e Contas (27,5%), (vi) os Indicadores & Índices Financeiros (21,8%), (vii) os certificados do SGQ (37,9%), (viii) os referenciais, símbolos e marcas do SGQ (85,3%) e (ix) os Projetos de Envolvimento com a Comunidade em RSE (26,1%).

Palavras-Chave: Análise de Conteúdo, Sistema Integrado de Gestão (SIG), Sustentabilidade Empresarial (SE), Responsabilidade Social Empresarial (RSE), Website Empresarial



Sistemas de Certificação da Qualidade nas Instituições de Respostas Sociais

SUSANA LUCAS • BOGUSLAWA SARDINHA • OTÍLIA DIAS • ANTÓNIO RAMOS PIRES

Resumo

Dar resposta às necessidades sociais, neste momento de crise, constitui um dos problemas mais prementes das economias europeias. A grave crise financeira reflete-se nas respostas dadas pelos estados às necessidades sociais. A eficácia e a qualidade desse tipo de serviços começa a ser um assunto muito complexo e muitas vezes difícil de resolver, mas a que urge dar resposta. O aparecimento de muitas empresas privadas que visam dar respostas às crescentes necessidades sociais é outro elemento a considerar no contexto da economia social. A competitividade deste setor, nomeadamente do ponto de vista da rentabilidade financeira, assume que a qualidade dos serviços é uma componente essencial, pelo que nos últimos anos tem-se assistido ao aumento significativo da certificação dos sistemas da qualidade das respostas socias. Em Portugal existem 2 esquemas específicos de certificação nas respostas socias a certificação Equass (European Quality Assurance in Social Services) e a certificação segundo os modelos do ISS (Instituto da Segurança Social). A existência destes esquemas a par da certificação baseada na ISO 9001, criou a necessidade deste estudo comparativo de análise e discussão das experiências acumuladas, no sentido de dar uma informação mais precisa ao mercado dos serviços sociais, bem como de identificar as principais necessidades de formação profissional do setor. O início recente dos trabalhos de uma Comissão Técnica de Normalização sobre sistemas de gestão da qualidade nas respostas sociais veio, também reforçar a necessidade já identificada.

Palavras-Chave: gestão da qualidade, certificação, respostas sociais, instituições sociais.



Seis Sigma: Integração com Referenciais de Gestão da Qualidade, Ambiente e Saúde e Segurança no Trabalho

PEDRO MARQUES • JOSÉ REQUEIJO • PEDRO SARAIVA • FRAZÃO GUERREIRO

Resumo

As rápidas transformações tecnológicas, sociais e económicas, que têm pautado este início de século XXI, colocam inéditos desafios à maioria das organizações. Confrontadas com esta realidade, empresas e instituições procuram manter uma posição competitiva no mercado, através da adopção de modelos de boas práticas de gestão organizacional, que lhes permitam criar valor para os clientes e para o negócio numa base contínua mas sustentável. O desenvolvimento de soluções que demonstrem a possibilidade e as vantagens de perspectivar o Seis Sigma enquanto sistema de gestão, permitindo assim integrá-lo com vários dos mais relevantes referenciais normativos e modelos de gestão existentes, foi o mote que norteou a realização deste trabalho. Neste artigo, desenvolve-se um modelo, assente na estrutura do ISO Guide 72 e nas fases do ciclo de vida dos projectos Seis Sigma, que visa fornecer às organizações, independentemente da sua dimensão e dos sectores de actividade em que actuem, mecanismos que lhes permitam implementar um programa Seis Sigma, integrando-o de forma eficaz no seu sistema global de gestão. Dada a sua relevância, o modelo de integração focaliza-se na articulação do Seis Sigma com os requisitos dos referenciais de gestão da qualidade (ISO 9001), ambiente (ISO 14001) e segurança e saúde do trabalho (OHSAS 18001). A aplicação e validação do modelo é efectuada em duas organizações de dimensões e áreas de negócio distintas.

Palabras clave: Ciclo de vida de um projecto Seis Sigma; ISO Guide 72; Seis Sigma; Sistema de gestão.



Implementação da Norma NP EN ISO 9001:2008 na Divisão de Higiene Urbana na Câmara Municipal de Setúbal

ALEXANDRE FREIRE • HENRIQUE LOPES

Resumo

A implementação de um SGQ num serviço municipal de gestão de resíduos sólidos urbanos (RSU), representa um salto qualitativo numa perspetiva de aumento da eficácia, da eficiência e da prestação de serviços que vão ao encontro das expectativas dos munícipes. Constitui igualmente um importante desafio ao nível da gestão da organização, permitindo o desenvolvimento do seu potencial de inovação e de motivação do capital humano, ao requerer um forte envolvimento de todos os seus colaboradores e um compromisso da gestão de topo. Encontra-se em curso a implementação do SGQ da DIHU, tendo-se adotado uma abordagem de qualidade normativa, com a adoção da Norma NP EN ISO 9001:2008. Após a elaboração do Manual de Gestão da Qualidade, com a identificação de responsabilidades e a análise de processos, espera-se que desta análise, resulte uma sistematização da informação e um exercício de capacitação e reforço da gestão estratégica e da capacidade operacional do serviço, com inequívocos benefícios para a melhoria do desempenho da organização e da qualidade dos serviços prestados aos munícipes.

Palabras clave: Norma NP EN ISO 9001:2008, Sistema de Gestão da Qualidade, higiene urbana, Setúbal.



Gestão da Qualidade e Sustentabilidade Organizacional: Burocracia, Anarquia e Hipocrisia

LUÍS MOREIRA • IVO DOMINGUES • LUÍS FONSECA

Resumo

Este trabalho baseia-se num estudo de caso de uma organização do setor da construção civil e aborda os processos integrados no referencial do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). É seu objetivo analisar e explicar a atuação dos membros da organização no âmbito da Gestão da Qualidade (GQ). A certificação do SGQ pode ser vista como fonte de oportunidades para melhorar os processos e as práticas, reduzindo desperdícios operacionais, e para melhorar a identidade e a imagem organizacional junto das entidades interessadas, melhorando a legitimidade e aceitabilidade no mercado. Em ambas as perspetivas, a GQ é vista como propiciadora de benefícios económicos, diretos e indiretos. Para analisar este caso, é adotado sistema teórico que focaliza a organização formal e a organização informal do SGQ. Para isso, é convocado o modelo da burocracia (Weber), de modo a analisar a dimensão formal da gestão e certificação do SGQ, e o modelo da anarquia organizada (Cohen, March e Olsen), para abordar a sua dimensão mais incerta e ambígua. Esta complexidade organizacional, feita de burocracia e anarquia organizada, marca o funcionamento real das organizações, valoriza a sua hipocrisia e afeta a sua sustentabilidade. Deste modo, abordando as dimensões formal e informal e apreendendo a complexidade da GQ, esta pesquisa oferece leitura interrogativa e preocupante acerca da relação entre os processos e as práticas organizacionais para obtenção e manutenção da certificação do SGQ.

Palavras-Chave: Anarquia Organizada, Burocracia, Hipocrisia Organizacional, Qualidade.



A Importância da Participação para a Implementação e Controlo de Sistemas de Qualidade nas Autarquias Locais

JOSÉ FIDALGO • FRANCISCO COSTA

Resumo

A questão da participação e envolvimento das pessoas na definição e implementação de processos de transição para a sustentabilidade tem vindo a tornar-se um tema de grande relevância, tanto para a investigação académica como para as instituições nacionais e internacionais (e.g. Nações Unidas, União Europeia). Devido à sua relação de proximidade com as pessoas e ao facto de, pela sua legitimidade, se constituir como um agente fundamental na adoção de novos paradigmas de desenvolvimento, o papel da administração local ganha renovada relevância, particularmente na mobilização das comunidades para as mudanças a efetuar.



Projeto Kaizen no Gabinete de Auditoria, Sustentabilidade e Qualidade Total – 1.ª Fase

INÊS INÁCIO

Resumo

A gestão integrada da LIPOR tem por base práticas de melhoria contínua, seja na área da qualidade, nos processos ou mesmo nos diversos locais de trabalho, que assentam no desenvolvimento e na aplicação de metodologias que se traduzem num conjunto de atitudes que tornam possível o desenvolvimento e a otimização do objeto da própria melhoria. Assim, no âmbito da estratégia LIPOR, o Gabinete de Auditoria, Sustentabilidade e Qualidade Total levou a cabo um projeto cujo objetivo se prendeu com a otimização e incremento do nível de eficiência dos seus processos, bem como a promoção da organização, limpeza e autodisciplina no local de trabalho com o pressuposto que estes princípios são essenciais para a melhoria da produtividade do Gabinete e consequentemente da LIPOR como um todo. Este projeto consistiu na implementação das metodologias e ferramentas de melhoria contínua, ferramentas Kaizen. Deste modo, foi possível concluir que o êxito da abordagem Kaizen não consiste apenas na aplicação dos conceitos, mas na sensibilização para a mudança de atitude de todas as pessoas envolvidas e no seu comprometimento para com este processo como filosofia de atuação.

Palavras-Chave: Melhoria; 5S’s; Kaizen; Processo.



Metodologia Kansei nos Projetos de Desenvolvimento de Novos Produtos

WALDEMAR NETO • ANTÓNIO RAMOS PIRES

Resumo

Este trabalho apresenta a problemática da crescente preocupação com a conceção e o desenvolvimento de produtos, com o objetivo de utilizar a informação desenvolvida através das metodologias de projeto centrado no utilizador e, em particular da utilização da metodologia Kansei para ajudar à compreensão da vasta aplicação do tema. Esta metodologia poderá ser de grande utilidade para apoiar os profissionais de engenharia e de design em processos envolvendo o utilizador, em decisões com alto grau de incerteza e complexidade, que caracterizam a criação e desenvolvimento de novos produtos. Este artigo tem também o objectivo de estimular uma discussão sobre o tema, e refletir sobre a importância que o assunto poderá vir a ter futuramente. Os resultados provenientes da aplicação do Kansei em processos de engenharia indicam que os métodos e processos propostos apresentariam bons resultados e soluções para o desenvolvimento futuro de uma nova proposta da metodologia, exigindo talvez uma reestruturação dos modelos existentes baseados na análise funcional. O trabalho já realizado permite encarar como positivo o desenvolvimento de uma metodologia integrada do QFD e da engenharia Kansei.

Palavras-Chave: Desenvolvimento de Produto; Engenharia Kansei; Projeto Centrado no Utilizador; QFD.



Estratégias Competitivas na Divulgação de Informação: Uma revisão da literatura

RUI PEDRO BATISTA • NÉLSON ANTÓNIO

Resumo

Desde o escândalo da Enron, em outubro de 2001, a divulgação de informação por parte das empresas, tem vindo a ganhar uma importância crescente. A crise financeira, que atingiu a maior parte dos países desenvolvidos, sobretudo a partir de 2008, colocou no centro das atenções dos principais atores dos mercados financeiros – emitentes, investidores, reguladores, bancos, agências de rating e analistas -, a variável escassez de dinheiro disponível, para emprestar ou investir. Mas esta opção imposta pela conjuntura aos emitentes, provoca por outro lado, um aumento dos custos de processamento e divulgação da informação, ao mesmo tempo que expõe a estratégia da empresa aos seus mais diretos concorrentes. O presente trabalho pretende fazer a revisão da literatura, no sentido de determinar em primeiro lugar quais as caraterísticas que explicam o nível de informação voluntária disponibilizada pelas empresas cotadas e seguidamente quais as vantagens e as desvantagens competitivas associadas à divulgação dessa mesma informação.

Palavras-Chave: crise financeira, informação voluntária, teoria da agência, vantagens competitivas.







Editorial


A Rede dos Investigadores da Qualidade (RIQUA) surgiu da preocupação em conhecer a comunidade técnico-científica que trabalha (profissional ou academicamente) na área da qualidade e outras áreas afins, mas também da procura para uma resposta desta comunidade à necessidade e oportunidade para a realização de um eventual Congresso Nacional da Qualidade. O I Encontro teve essa grande preocupação e aí tomaram-se algumas decisões, nomeadamente o alargamento da Comissão Organizadora, a adoção da designação de Encontros de Tróia e a necessidade de reflexão mais aprofundada sobre a utilidade de um Congresso Nacional. Este Encontro permitiu o conhecimento mútuo do grupo de investigadores presentes, os trabalhos realizados, bem como as áreas de interesse e as linhas de investigação de cada um dos membros. O II Encontro assumiu uma nova faceta, de aceitar comunicações de jovens investigadores, nomeadamente estudantes de mestrado e doutoramento, não com o carácter de publicação científica, mas para que os membros mais seniores pudessem comentar e ajudar os membros mais juniores a seguirem caminhos mais seguros. Teve ainda a participação dos Editores das Revistas Total Quality Management & Business Excellence (Jens Dahlgaard) e International Journal of Quality and Service Sciences (Su Mi Dahlgaard-Park), o que muito contribuiu para reforçar as ligações internacionais da Rede. O III Encontro considerou os resultados do Encontro anterior, nomeadamente o facto de não ter sido possível desenvolver suficientemente o trabalho em rede. Assim, neste III Encontro desenvolveu-se a discussão de eventuais Projetos de I&D, em que a Rede pudesse reforçar ou encontrar a massa crítica para a sua realização, aproveitando o conhecimento e as sinergias resultantes dos membros. Nesse ano, o grande número de participantes (92), bem como das comunicações apresentadas (29) mostraram que os Encontros da RIQUA têm vindo a ser bem acolhidos pela comunidade técnica e científica, o que constituiu um importante incentivo para as próximas realizações. Igualmente, este Encontro da RIQUA, pela primeira vez, foi realizado em paralelo e em parceria com o 1º Workshop da Qualidade em Saúde, iniciativa da Comissão Setorial para a Saúde CS/09 do SPQ. Por outro lado, em relação à revista TMQ, ficou entendido, que dado o seu carácter e o público-alvo, esta deveria passar a ser editada apenas on line. O IV Encontro teve a presença do colega e investigador Martí Casadeus, que nos trouxe a experiência do seu grupo de investigação. A plataforma informática para editar a Revista TMQ foi apresentada já numa fase final de desenvolvimento, criando novas funcionalidades para suportar a Rede. Este Encontro registou um elevado número de comunicações (34), o que limitou o espaço para maior trabalho na procura de projetos comuns. Passadas quatro Edições dos Encontros é tempo para refletir sobre o caminho seguido e perspetivar o desenvolvimento futuro. O caracter inovador da RIQUA importa ser potenciado através da conceção e realização de projetos em rede, o que só pode ser conseguido se as pessoas se encontrarem e desenvolverem laços pessoais de conhecimento e de relacionamento. Adicionalmente, algumas preocupações devem ser tomadas, para que não se enfatizem as comunicações em detrimento do desenvolvimento da Rede, nem que outras iniciativas desviem a RIQUA dos seus objetivos essenciais. Os fundadores da Rede continuam a velar pela orientação de servir a comunidade, de explorar o posicionamento distintivo no universo da língua Portuguesa e do mundo ibero-americano de língua espanhola. O desenvolvimento de relações com colegas destas temáticas será prosseguido e será traduzido em novas realidades.